| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Stop wasting time looking for files and revisions! Dokkio, a new product from the PBworks team, integrates and organizes your Drive, Dropbox, Box, Slack and Gmail files. Sign up for free.

View
 

Correcção do TS1 6A

Page history last edited by Inpi 9 years, 5 months ago

Este ficheiro encontra-se aqui

 

 

Outubro de 2010

 

Correcção do Teste Sumativo 1 do 6º Ano A

 

 

Leitura Activa  - (3 pontos) – inclui os sublinhados e as anotações pedidos, a colocar no próprio texto.

 

I Valoração

( 30 pontos) – inclui 4 perguntas de desenvolvimento a elaborar a partir do texto.

 

1. Eu acho que sim, porque acho que, imaginem, duas pessoas têm o hábito de ir a um tal café, a tais horas – a seguir ao trabalho, por exemplo – para ir ver televisão. À medida que vão passando os dias, eles vão conversando cada vez mais sobre o que estão a ver ou sobre outras coisas e vão ficando cada vez mais amigos. Diogo, 7

 

1. Sim, porque assim podem ler juntos, estudar juntos e, claro, ajudarem-se. Se gostarem das mesmas coisas é mais fácil de se darem bem. Inês B, 12

 

1. Em minha opinião, em relação ao assunto, eu também acho que o facto de gostarem de coisas iguais contribui para terem uma boa amizade, porque podem fazer mais coisas juntos, que gostem. Inês E, 13

 

1. Sim, eu penso que ter coisas em comum fortalece as amizades. Por exemplo, eu e um amigo meu temos coisas em comum, embora tenhamos algumas zangas... mas volta tudo ao normal. É como diz o ditado:”É difícil encontrar um amigo, mais difícil deixá-lo e impossível esquecê-lo!” João M, 17

 

1. Não, pois para mim as pessoas serem diferentes é que torna a amizade interessante, pois ao longo da amizade vamos conhecendo melhor o amigo, o que é uma sensação indescritível. Mariana C, 23

 

1. Para mim, ter algo em comum com um amigo é muito bom, porque podemos falar sobre isso à vontade, sem nos preocuparmos se ele está a achar “foleiro” ou infantil, mas também se o nosso amigo não gostar da mesma coisa que nós, é uma forma de aprender mais coisas. Pedro S, 26

 

2. Os dois amigos consideravam os seus textos tão bonitos e tão perfeitos porque, quando escrevemos, entrávamos num mundo imaginativo, como se estivéssemos nos sonhos, parecia um só mundo, nosso. Catarina, 6

 

2. Na minha opinião, os dois amigos diziam que os textos eram tão bonitos e tão perfeitos, pois podiam estar a imaginar as coisas maravilhosas que tinham já acontecido nas vidas de ambos. Francisco G, 10

 

2. Na minha opinião, eles pensarem que os textos eram tão perfeitos e bonitos, era porque tudo o que nós fazemos,  achamos que foi o nosso melhor e, por isso, é perfeito. Joana A, 14

 

2. Os dois amigos consideravam os seus textos tão bonitos e perfeitos, porque adoravam escrever contos e poemas e, quando os escreviam, sentiam-se muito bem. Luís S, 20

 

3.1. Eu gostei da apresentação do”Gil”, porque eu adorei a forma como eles falaram, também não consegui perceber como é que eles não se esqueceram das falas e como falavam tão depressa. Madalena S, 21

 

3.2. Quando eu estava a construir o meu trabalho de grupo, houve muitos momentos bons, mas os que eu gostei mais foi quando completámos o trabalho, quando o apresentámos à turma e quando entregámos o prémio. Beatriz, 2

 

 

3.2. Na Apresentação oral, gostei do teatro que fizemos, porque estávamos com medo que nos engasgássemos e não saísse nada; também gostei da parte do sistema solar, da construção, não é só por ser meu, mas acho que estava bem construído. Carlota, 4

 

3.2. Eu, o Vasco, a Carlota e o João M fizemos a apresentação da peça de Gil Vicente e da maqueta do sistema solar e as minhas 3 partes favoritas da preparação forma: Quando estivemos a decorar as falas da peça de Gil Vicente; também gostei imenso quando moldámos e pintámos os planetas, eu e o Vasco ficámos encarregues de fazer o sol e, como ficou numa mesa e era feito de barro, ficou espalmado por baixo. Carolina L., 5

 

3.2. O meu grupo era eu, a Mariana C. e a Madalena S.; o momento que eu achei mais giro foi quando a Madalena estava a fazer umas setas: coitada, teve imenso trabalho, e u e a Mariana estávamos a colar ráfia e a ver os “Morangos com Açúcar”, foi tão cómico! Inês E, 13

 

 

II Conhecimento Explícito

 

 – (67 Pontos) - inclui 10 perguntas de resposta curta sobre os tópicos da matéria dada ou revista.

 

1. (4/2 valores) O narrador está a retratar o amigo, pois um retrato é descrever a pessoa fisicamente ou psicologicamente, dizer o que ele gosta de fazer e do que não gosta e dizer as aparências físicas dele. Beatriz, 2

 

2. “Magríssimo, mal-vestido, alto...” – Adjectivação. (6/3)

 

3.1. A palavra “batalhava” está empregue em sentido figurado. (2/1)

 

3.2. Neste contexto, “batalhava” significa que o narrador apreciava muito os versos do seu amigo. (3/2)

 

4. O 2º parágrafo tem 5 períodos. (3/1)

 

5. As vírgulas estão a separar três adjectivos numa frase ou os elementos de uma enumeração. (4/2)

 

6. “E ali estava eu na sua casa, tão feliz como uma criança a quem deram um brinquedo desejado, com muitas perguntas encravadas na garganta, tentando refazer o encanto de um tempo passado. (8)

 

7. (8)

Palavra

Prefixo

Sufixo

Significados

 

Incapacidade

 

 

In

 

Idade/Dade

In – Negação

Idade/ Dade - Qualidade

8. (16)

1. Partilhávamos – Verbo Transitivo Directo. 2. Aqueles – Determinante Demonstrativo. 3. Nossos -  Determinante Possessivo. 4. Textos – Substantivo ou Nome Comum. 5 . Com – Preposição Simples. 6. Entusiasmo – Substantivo Comum (abstracto). 7. Incríveis – Adjectivo (Uniforme quanto ao  género). 8. Perfeitíssimos – Adjectivo (Biforme, no Grau Superlativo Absoluto Sintético).

 

9. (2) Este texto é um Poema Acróstico.

9. Pertence ao texto poético e é um acróstico.

 

 

 

 

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.